quinta-feira, 30 de junho de 2016

Errante no amor...

Tão sozinha, tão errante, tão na minha e tão distante.
Na vida, na estrada, na lida e impaciente na caminhada.
Que a dor gritante agora calada, se afogue nas suas
mágoas e se cale por toda a eternidade.
Sou caminhante e no meu momento não cabe mais
o seu instante. A minha hora é o agora e o meu tempo
há de passar lentamente e sutilmente. 
Cilneia Felippe


quarta-feira, 1 de junho de 2016

Felicidade...

Diziam que a felicidade não era minha,
mas como explicar...estava ao meu lado,
me olhava, me flertava e era praticamente
uma vizinha. Uma felicidade ora prometida
e por tempo esperada...Era minha,  há tempos
procurava.
cilneia Felippe